expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Translate

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

Formiga-onça

Formiga-onça

Nome científico: Dasymutilla occidentalis  e  Traumatomutilla manca.

Sinônimos: Bunda-de-ouro, Chiadeira, Feiticeira, Formiga-cascavel, Formiga-ferro, Oncinha e Tajipucu.



    Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Ocorrência: Brasil, em todo o território nacional.

Habitat: Gosta de áreas abertas, com capim vegetação baixa.

Características: Embora seja conhecida como formiga, se trata de uma vespa. A fêmea é áptera (sem asas), tem entre 20 mm e 50 mm de comprimento, parece uma formiga gigante, nas cores preta/vermelha, preta/laranja ou preta/amarela. 




Foto: Maria do Carmo Silva



Hábitos alimentares: Se alimentam de outros insetos, como formigas e até insetos maiores encontrados mortos.

Hábitos sociais: Tanto o macho como a fêmea vivem solitários.

Reprodução: As cores vibrantes da fêmea são um chamativo para o macho, e, como não possui asas, anda quase sem parar durante o dia, para facilitar que seja vista e também em busca de insetos tais como grilos e formigas maiores, nos quais depositará seus ovos. Suas larvas se desenvolvem parasitando esses insetos, até estarem em formação plena. Uma vez desenvolvidos, são autônomos e independentes. Os machos desenvolvem asas, o que facilita a busca pela fêmea, daí a sua preferência por lugares de pouca ou nenhuma vegetação.

Predadores: Algumas aves.

Status ecológico: Sem risco de extinção.

Conhecer a natureza é um prazer que se renova  a cada dia, com uma nova descoberta, com um novo mistério que se apresenta diante de nós. Preservá-la é essencial e dever de todos sempre.
Abraço!

5 comentários:

  1. Acabei de filmar uma, coloquei no You Tube hoje, formiga feiticeira

    ResponderExcluir
  2. Acabei de filmar uma, coloquei no You Tube hoje, formiga feiticeira

    ResponderExcluir
  3. Quando moleque andava pelos pastos e via uma era uma farra pois tínhamos a superstição que ver uma era sorte e que naquele dia iriamos comer muita carne de caça, coisas da roça.

    ResponderExcluir
  4. Quando moleque andava pelos pastos e via uma era uma farra pois tínhamos a superstição que ver uma era sorte e que naquele dia iriamos comer muita carne de caça, coisas da roça.

    ResponderExcluir